Notícias

Construindo estradas com rejeitos de mineração

Pesquisadores do Centro de Produção Sustentável da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desenvolveram um inovador estudo para transformar rejeitos e estéreis de minerações de ferro, bauxita, fosfato e calcário em produtos para a construção civil e rodoviária

Para o uso em estradas, os rejeitos são transformados em base arenosa impregnada de ligante hidráulico, uma técnica já consolidada na Europa. O rejeito arenoso pode ser reaproveitado, por exemplo, como brita para base e sub-base de estradas. Segundo o professor Evandro Moraes da Gama, do Departamento de Engenharia de Minas da UFMG, o volume da barragem de Mariana (MG) que rompeu no final do ano passado – cerca de 63 milhões de metros cúbicos – poderia ser transformado em base e sub-base para uma estrada com 3.500 quilômetros ou ser utilizado na construção de 120 vilas com 200 casas de 46 metros quadrados de área total.

Os estudos visando o aproveitamento do rejeito de minério de ferro começaram há cerca de dez anos na UFMG, com apoio de empresas e órgãos de fomento do governo. O professor defende que as pesquisas e a produção sejam estimuladas por políticas nacionais de desenvolvimento que incluam a isenção de impostos e ações de valorização dos produtos ecológicos. “Países como a França, a China e o Canadá produzem derivados em larga escala. No Brasil, é preciso aproximar a indústria de transformação da indústria da mineração. Parte significativa do passivo ambiental pode ser transformada em matéria-prima para a construção da infraestrutura do país”, ressalta.

Fonte: UFMG

Inserir um nome válido
Inserir um telefone válido
Obrigado por se inscrever na newsletter.

Em breve você receberá novidades sobre o mercado de construção de estradas.
Ocorreu um erro ao enviar as suas informações. Favor tentar novamente.
Favor preencher todos os campos que estão destacados em vermelho.

Últimas Notícias

Ver todas as notícias